Diet Blog


Não abandonei não!
fevereiro 11, 2008, 9:56 pm
Filed under: Uncategorized

A querida Flávia, uma amiga preciosa que este blog me deu e que tem uma força de vontade que é um exemplo para todo mundo que quer perder peso, deixou um recadinho perguntando se eu havia desistido do blog. Ou, o que seria infinitamente pior, da dieta.

Respondendo a ela e a todas que passam por aqui, digo que não, não abandonei coisa nenhuma! Ok, o blog anda meio largadinho sim… mas é que sinto que não tenho nada de relevante a dizer agora, entendem? Quem tem blog diet já passou por isso? Além do mais, estou trabalhando desde o carnaval, e só folguei neste domingo. Aí a minha casa, que eu pintei INTEIRINHA, foi a minha prioridade. Coloquei todas as roupas no armário novo, e foi com grande tristeza que constatei que a imensa maioria não me serve.

Quanto à dieta, segue firme e forte! Depois das duas semanas sem resultados na balança, nestes últimos dias a boca esteve mais fechada do que nunca. Hoje a academia reabriu e fui lá queimar mais umas calorias. Paguei a mensalidade, e vou para o meu segundo mês de malhação. Se persistir em março, quebrarei o meu recorde de tempo na academia! Amanhã meus ex-colegas de estágio vão se reunir em uma lanchonete, e dessa vez vou furar com o povo. Se o ponteiro não baixar essa semana vai ser uma decepção tremenda. Hoje resisti bravamente á coxinhas de frango com catupiry quentinhas que chegaram lá no bar da redação. Meu colega de mesa comprou uma, e eu levantei e fui dar uma volta.

É isso aí, meninas, foi só para avisar que estou bem, estou viva e ainda dietando. Melhor ainda, estou cada vez mais convencida que terei que dietar para o resto da vida, e isso não é ruim. Já estou acostumada a viver sem guloseimas.

Anúncios


Estacionei
fevereiro 6, 2008, 6:45 pm
Filed under: pesagem

Então, meninas, acabo de voltar da farmácia. Perdi exatamente as 200 gramas que tinha engordado na semana passada, ou seja, estacionei.

A dieta que estou fazendo agora é excelente para manter o peso, mas para emagrecer não tá dando certo. Está na hora de rever os meus conceitos, ou vou acabar desanimando de vez. A receita para emagrecer é simples: tenho que consumir menos calorias do que gasto. Já que estou gastando bastante calorias na academia, isso quer dizer que ainda estou comendo demais. E não sinto que estou abusando: nunca mais comi chocolate, sorvete, salgados e até com a bebida estou maneirando. Acho que o negócio é fazer um GRANDE sacrifício e consumir menos alimentos de noite. E é um sacrifício mesmo, pois a noite é o momento em que sinto mais fome. A partir de agora, vou dar uma apertada e consumir aquele monte de sopinhas Vono que eu comprei. E rezar para a semana passar logo e a academia reabrir!

ps- Sei que estou devendo visitinhas e comentários para todas vocês. Vou fazer uma conta de feeds só para os blogs diet e ler diariamente. Se eu deixar de comentar, não reparem, mas estarei lendo religiosamente.



Ziriguidum Bundalelê
fevereiro 5, 2008, 3:05 am
Filed under: Uncategorized

Olá amigas light!

Desculpem-me pelo sumiço, mas trabalhar durante o carnaval tira o ânimo de qualquer uma, não? Ânimo de postar, veja bem, pois a dieta segue firme e forte. O único porém é a academia, que vai permanecer fechada durante esta semana. Mas para isso vou fazer umas belas faxinas em casa, pelo menos queimo umas calorias!

Prometo que amanhã faço um post caprichado, e, mais importante ainda, coloco as minhas visitinhas em dia! Quero saber como anda a dieta de vocês, hein? Todo mundo resistindo à cervejinha (o carnaval está acabando e não tomei NENHUM golinho…) e gastando muita caloria no samba, espero!

Beijos!



O japonezinho não ficou feliz essa semana
janeiro 30, 2008, 8:45 pm
Filed under: pesagem

Acabo de voltar da farmácia, e desta vez não tenho nada a comemorar. O peso ficou em 83,650kgs. Ou seja, ao invés de emagrecer, engordei 200 gramas essa semana.

E a culpa nem é do bar da redação, já que venho resistindo bravamente às tentações. A culpa é da maldita vida social (isso que eu nem fui no tal aniversário sábado) e da falta de horário.

O que eu aprendi com isso? Qualquer escorregadela influi diretamente na balança. Mas a sensação de frustração é grande, gurias. Me sinto mais fininha, algumas roupas eu já sinto um pouquinho mais folgadas, estava confiante. Agora estou aqui chorando. Sei que abusei, mas desde o final de semana a dieta anda impecável: não comi nada de engordante, vou todo dia para a academia, etc, etc, etc. Talvez o meu corpo tenha acostumado com a quantidade de calorias que vem recebendo. É hora de analisar cuidadosamente todos os meus “passos” na semana que passou e tentar melhorar daqui para a frente. Acho que vou procurar um nutricionista para montar um cardápio legal.
A boa notícia? A boa notícia é que eu não vou desistir! Viu, dona gordura? Aproveita teus últimos meses, que vou te mandar para o quinto dos infernos!



Acabou!
janeiro 29, 2008, 12:28 pm
Filed under: alimentação

Não, não acabou a dieta e nem o blog. O que acabou foram as minhas férias. E mais uma sucessão de obstáculos para a minha RA apareceu:

1) Horários – Este mês tem muita gente entrando de férias, de folga, de licença. Então cada dia estou trabalhando em um horário, e como sou uma pessoa hiper metódica, isto está pesando contra. Ontem, por exemplo, trabalhei até meia-noite. Dormi tarde, acordei tarde e hoje… nada de academia pela manhã. De tarde, vou ter apenas uma hora. Acho que vou optar só pela esteira, quero mais é gastar graxa. Vou ter que rever todo o meu treino, mas ok, dá para contornar.

2) Alimentação – Na redação onde eu trabalho tem um maldito bar, que é responsável por uma boa parte do meu peso. Ele fica a menos de DEZ PASSOS DA MINHA MESA. Então, quando chega pão de queijo quentinho, eu sinto o cheiro. Quando eu me levanto, vejo as tortas, os doces, os salgados. Claro que também tem fruta e iogurte, mas eles não chamam tanto a minha atenção. Estou resistindo bravamente, e tomando mais café para dar aquela tapeada, mas é tentação demais, viu?

O negócio é adaptar a RA a esta nova realidade. Ninguém disse que ia ser fácil, né? Enfim, até amanhã, quando espero de coração fazer um novo post Yataaaaaaaa!

Beijos!



Orgulho de ser gordo
janeiro 26, 2008, 8:28 pm
Filed under: gordura, obesidade

Ao contrário da gente, tem muita gente que usa blogs para celebrar a gordura. Li essa reportagem em algum lugar e resolvi trazê-la para cá, a título de curiosidade.

Blogueiros obesos estão na moda na “gordosfera”

Roni Caryn Rabin
The New York Times

Durante anos, especialistas em saúde vêm advertindo que os americanos estão gordos demais, que se exercitam pouco e comem demais, que nossa saúde está em risco.

Alguns gordos discordam.

Blogs escritos por gordos -e tudo bem usar a palavra, dizem eles- multiplicaram- se nos últimos meses, preenchendo um espaço virtual conhecido como gordosfera, onde os blogueiros pedem a aceitação da gordura e questionam quase tudo que a sabedoria médica convencional tem a dizer sobre a obesidade.

Blogs inteligentes, atrevidos e irreverentes, com nomes como Big Fat Deal e FatchicksRule e Fatgrrl (“Agora com 50% mais gordura!”) enfrentam o sentimento anti-obesidade. Eles celebram seus tamanhos grandes e pedem aos leitores para aceitarem seus corpos, que parem de fazer dieta e sigam com suas vidas.

A mensagem da gordosfera não é só que grande é bonito. Muitos dos blogueiros chamam de histeria a “epidemia de obesidade”. Eles argumentam que os americanos não são tão mais gordos do que eram e que ser gordo, por si só, não é necessariamente ruim para a pessoa.

Eles rejeitam uma crença central que muitos americanos prezam, inclusive os que estão acima do peso: que só o que o gordo precisa fazer para ser magro é se exercitar mais e comer menos.

“Um dos primeiros obstáculos para a aceitação da gordura é acabar com a questão de que ser gordo é uma escolha”, disse Kate Harding, fundadora do blog Shapely Prose, em entrevista. “Nenhum defensor do gordo está dizendo que você deve ficar sentado e exagerar na comida. O que estamos dizendo é que exercício e dieta equilibrada não tornam todos magros.”

Harding, 33, entusiasta de ioga de Chicago, promove a idéia de saúde em qualquer tamanho (ela veste 16). Ela começou o Shapely Prose (kateharding. net) em abril, depois de observar que as mensagens sobre o assunto em seu blog pessoal tocavam as pessoas. Desde então, rapidamente o Shapely Prose tornou-se um dos mais populares blogs que pregam a aceitação da gordura, com uma média de 3.710 visitas por dia, de acordo com o programa de estatísticas da Web Sitemeter.

As pessoas vêm em diferentes tamanhos e formas, dizem blogueiros como Harding, e, para os que vêm “X-Large”, fazer dieta é em vão. Muitos dos blogueiros chamam seus sites de “zonas livres de dieta”. (Nem mencione cirurgia para perda de peso.)

“Você tem uma recaída, então entre em dieta novamente. Desta vez você vai fazer, realmente vai ser desta vez”, disse Marianne Kirby, blogueira de 30 anos de Orlando, Flórida, que escreve o The Rotund (therotund.com). “E ainda não funciona, não no longo prazo -você termina mais pesado que antes. E diz para si mesmo: por que fui cair nessa de novo?”

Os blogs atraíram comentários negativos, até agressivos. Mas, para os leitores acima do peso, as mensagens dão força -e são libertadoras.

“Amiga, deixe-me dizer, finalmente estou me entendendo”, comentou uma fã do site da Harding. “Sempre serei gorda. Aceito isso agora.”

Harriet Brown, blogueira de 49 anos em Wisconsin e ocasional contribuidora do “The New York Times”, estimula os leitores a fazerem um voto de “eu amo meu corpo” (em harrietbrown. com), no qual prometem não se degradar, falando que “suas coxas são gordas” e chamando a si mesmos de “porcos gordos”.

O blog anônimo Fat Fu (fatfu.wrodpress. com) faz uma crítica impiedosa às pesquisas recentes, como o estudo de “amigos gordos”. Oferece também uma das listas mais amplas de links da gordosfera, inclusive comunidades on-line, modas e sites de saúde para gordos. O blog Big Fat Deal (bfdblog.com) sugere 10 formas de ser um “ativista da positividade do corpo”, inclusive “seja você mesmo”, “compreenda que muitas pessoas são idiotas cheias de ódio” e “não tenha medo de pedir um pedaço de torta”.

Muitos blogueiros são mulheres cujos textos têm um sabor claramente feminista, mas há blogueiros masculinos, como o Red No. 3 (red3.blogspot. com), que diz: “Você vê, não tenho problema com gordura. Meu corpo é simplesmente adornado, e aceito isso.”

Alguns especialistas, entretanto, dizem que esse tipo de mensagem é perigoso e mina os esforços de saúde pública para conter a obesidade. “Temos que ter cuidado para não colocar toda a culpa no indivíduo”, disse Walter C. Willett, professor de nutrição e epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública de Harvard. Mas, acrescentou, “a grande maioria das pessoas acima do peso está assim por causa do estilo de vida”.

Os blogueiros argumentam que mudanças na definição dos termos, junto com falhas na fórmula de índice de massa corporal, empurraram mais americanos para as categorias de “gordo” e “obeso”. Eles apontam para estudos provocativos sugerindo que pode haver benefícios para quem está acima do peso, inclusive um estudo amplo que revelou que americanos abaixo do peso têm maior probabilidade de morrer do que os que estão moderadamente acima do peso.

Vários outros estudos recentes sobre pacientes do coração e de diálise também registraram maiores índices de sobrevivência entre pacientes mais pesados, sugerindo que o elo entre tamanho do corpo e saúde pode ser mais complexo do que se admite geralmente. Outro estudo de pessoas acima de 60 revelou que estar em forma tem mais influência na longevidade do que simplesmente estar magro.

O principal argumento dos blogueiros é que ser gordo não é resultado de falha moral ou de caráter ou de gula, preguiça ou falta de força de vontade. As dietas sofrem de efeito bumerangue, dizem eles; de fato, numerosos estudos de longo prazo revelaram que apesar das pessoas que fazem dieta muitas vezes perderem peso no curto prazo, quase sempre recuperam os quilos perdidos nos anos seguintes.

Por fim, os blogueiros argumentam que ser magro pode ter mais a ver com sorte genética do que com escolhas de estilo de vida.

“Aceitamos que algumas pessoas são altas e outras baixas”, disse Rachel Richardson, 28, de Cincinnati, que escreve um blog chamado The F-Word (the-f-word.org). “Ainda assim parecemos pensar que todos deveriam ser magros -simplesmente não faz sentido.”

Os blogueiros alegam que a guerra contra a obesidade deu às pessoas uma desculpa para travar uma guerra contra os gordos, e que preocupações com saúde -aliadas à crença que os gordos só têm a si mesmos para culpar por serem gordos- estão simplesmente sendo usadas para justificar uma discriminação que não teria sido tolerada contra qualquer outro grupo de pessoas. “Não me surpreende que haja tantos desses blogs agora”, disse Richardson. “A histeria contra a obesidade alcançou um ponto de fervura. Escrever blogs é uma forma das pessoas lutarem.”



Brincadeira – Se minha vida fosse um filme…
janeiro 26, 2008, 12:44 pm
Filed under: brincadeira | Tags: , , , , ,

Ok, meninas. Começou o final de semana, não podemos descuidar da dieta, mas uma brincadeira para relaxar não faz mal a ninguém. Vi essa em alguns blogs, e fiquei com muita vontade de fazer, afinal amo música e adoro cinema. O esquema é o seguinte: a gente tem que colocar o nosso Ipod/ MP3 no modo aleatório e colocar as músicas que tocam nas cenas a seguir. Mas não vale a pena trapacear, não pode pular as músicas! Depois posta, faz os comentários e está pronta a trilha sonora da sua vida! Os nomes das minhas músicas têm links para vocês poderem ouvir o que não conhecem. Vamos lá, o filme da minha vida seria assim…

Créditos iniciais: House of the rising sun (Nina Simone) – Nada melhor que uma música que fala de um sol nascente para começar o filme. Mas atenção: a música é meio tristinha. Eu também sou melancólica às vezes, mas meu filme não pode ser um drama! Não combina comigo!

Cena em que Acorda: The Drug’s Don’t Work (Ben Harper) – Apesar do título meio punk, é uma música boa para acordar mesmo. Ainda mais depois dos créditos iniciais!

Primeiro dia na escola: My Hero (Foo Fighters) – Uau! Música ótima, daquelas que anima. A época de colégio teria sido melhor com uma trilha sonora dessas!

Primeiro amor: Reasons (Earth, Wind & Fire) – Hahahahaha! Primeira música romântica que aparece vem logo na cena do meu primeiro amor! Globo e você, tudo a ver!

Cena de luta: Ob-La-Di, Ob-La-Da (The Beatles) – Só se fosse uma luta tipo pastelão, com muita torta na cara e tal… mas amo essa música, ela cai bem no meu filme!

Fim de Relacionamento: Feeling the same way (Norah Jones) – Perfeito! Para um final de relacionamento, nada melhor que a velha Norah! Melhor ainda que eu ia me sentir do mesmo jeito, o final do relacionamento pelo visto não ia me afetar em nada!

Festa de Formatura: Where you Lead (Carole King) – Muito legal! Gostaria de me formar ao som da música tema de Gilmore Girls!

Dia-a-dia: Everywhere (Michelle Branch) – Essa eu não gosto muito, mas ok, é uma boa música para o dia-a-dia.

Colapso Mental: Accidentaly in Love (Counting Crows) – Hmmm, só se eu enlouquecesse de amor. O que, me conhecendo como me conheço, é pouco provável. 

Dirigindo: Angel (Sarah McLachlan) – Linda música, da trilha de cidade dos anjos. Até me vi dirigindo ouvindo isso depois de um dia estressante de trabalho. 

Flashback: Cheated Hearts (Yeah Yeah Yeahs) – Muito boa! Esse passado foi bom, hein? 

Casamento: Where does the good go (Tegan & Sarah) – Não sei se é uma música muito apropriada para um casamento, mas… é da trilha de Grey’s Anatomy, uma das minhas séries favoritas. 

Nascimento do filho: Help Me  (Joni Mitchell) – Certo, quando a gente tem um filho precisa de ajuda mesmo. Música mais do que apropriada.

Batalha Final: The KKK took my baby away (Ramones) – Perfeito! Até me vejo aqui lutando contra os monstros da Klu Klux Klan! Relho neles!

Cena de morte: Life’s a bitch (London Rain) – hahahhahaha Não podia ser mais perfeito para o momento da morte de alguém, né?

Música de funeral: Ruby (Kaiser Chiefs) – Até imagino todo mundo cantando e dançando no meu velório… 

Créditos Finais: It Takes Two (Tina Turner & Rod Stewart) – O filme termina mais com a minha cara do que começou. Música animada para terminar uma história que seria animada, com certeza!

Acho que ficou boa a trilha, não? Assim como eu, bem eclética! Agora convido as amigas blogueiras que passarem por aqui a fazer o mesmo! Depois mandem os links para que eu possa curtir a trilha de vocês!